segunda-feira, 10 de abril de 2017

ROMAN

   1 - Roman

Dancei com o diabo na noite passada. Ele sussurrou carinhosamente no meu ouvido memórias que pensei que tinha enterrado há muito tempo. Com suas grandes mãos cobrindo meu rosto, ele usou suas palavras para devolver a dor que eu tinha apagado uma vez. Ele disse-me da minha morte, lembrando-me da vida triste e miserável que estava por vir. Com ele aqui, segui a sua liderança envolta em seus braços e sinto pavor diferente de tudo que já conheci.

Dancei com o diabo na lua na noite passada, meu vestido vermelho brilhava quando ele rodou ao vento. Cascateava em torno de mim como se o oceano estivesse rosa, me fazendo voar mais alto e mais alto, deixando medo e morte para atrás. Sua risada ecoou por mim e olhei para os diabólicos belos olhos azuis.

— Seu vestido, meu amor, foi transformado em um profundo tom de azul e sua beleza teria me deixado sem fôlego, se não fosse tão inequivocamente verdade.

Foi dito por muitos, uma e outra vez, que Satanás não está envolto em escamas vermelhas com chifres hediondos e uma aguçada cauda vermelha. Olho para o homem cujos braços eu aperto pela vida e percebo como estavam certos.

Dancei com o diabo através das estrelas na noite passada, nos braços do homem cuja beleza rivaliza a de Adônis. Seu cabelo tão escuro como as asas de um corvo, olhos cor de um céu na tempestade. Enquanto ele não fala, permito-me acreditar que o sonho é possível.

Acreditava que ele me amava. Acreditava que ele foi injustamente amaldiçoado. Acreditava que ele não permitiria que ninguém me machucasse. Acreditava que pertencia a ele e só a ele. Foi quando ele falou, a minha dúvida aumentou e aumentou, extinguindo as minhas crenças nele. Quando ele se gabou e se vangloriou, meus sonhos viraram pó. E quando a minha dúvida veio à tona, ele terminou jogando com a minha pequena existência tola.

Dancei com o diabo ontem à noite e, claro, no final, foi ele quem ganhou. Quando terminou a nossa dança, o oceano sumiu, as nuvens diluíram e os meus ossos quebraram quando caí e bati na terra, meu sangue derramado invisível por baixo do vestido vermelho rubi, que esperançosamente ficou azul uma vez.

   2 - Roman's Redemption

Uma vez lhe disse: "Todo pecado, eu me comprometo; cada vida, eu termino; toda alma, eu compro. Faço isso para assistir com diversão gratificante, uma vez que desaparece. Eu tomei estas vidas com toda intenção de ver os meus pecados e transgressões afetarem e alterarem a vida dos outros."
Tenho medo que essas palavras já não tenham um fio de verdade.
O homem que você conheceu é, agora, nada mais do que um fantasma.
O sangue manchando minhas mãos já não é uma consequência da minha diversão.
Tornei-me pura maldade. O sangue que você vê é o resultado da minha necessidade visceral de impedir o tormento e desolação deixados no rastro da minha esposa.
Se você é tolo o suficiente para acreditar que todos os homens são dignos de redenção, mesmo aqueles que nasceram do mal, pegue a minha mão e deixe-me mostrar-lhe o que acredito sobre Redenção.
Porque isso é, depois de tudo, a redenção de Roman.


   3 - Where the Ivy Hides



Tudo o que sempre tive foi eu mesma. Não posso te dizer quem sou, de onde vim, ou de quem fui feita. Fui arrancada do único ser feliz que já conheci, mas não posso recordar quem era... Só sei que uma parte de mim agora está vazia, oca.

Como você sabe quem você é, se não sabe nem mesmo quem é da sua própria carne e sangue? Como pode confiar naqueles em sua vida, quando o engano reside entre vós? Como sabe se você não pertence, se estiver no único lugar que já chamou de casa?



Não havia nada que eu pudesse fazer, além de sobreviver... à minha maneira. Esta é a minha história... este é o lugar onde Ivy está escondida…

Um comentário:

COMENTEM FRIENDS



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Seja Bem Vind@.
{Cena do filme Conquista Sangrenta, com Rutger Hauer e Jennifer J. Leigh}