quarta-feira, 24 de agosto de 2016

IM A HEARTBEAT

   1 - In a Heartbeat


Stella — Eu estive dentro e fora de hospitais nos últimos dez meses. Eu tive a metade do meu fígado retirado e, embora desta vez os médicos estejam muito otimistas, já que removeram todos os tumores, eles não podem ter certeza. Daqui a três meses, eles me querem aqui novamente para um check-up. Agora eu me sinto melhor do que já me senti antes. Eu sei que essa maldita coisa se foi, pelo menos neste momento. Apesar disso, eu não posso fazer planos para o futuro, ainda não. Eu preciso ir para algum lugar onde ninguém me conheça, onde eu possa relaxar e talvez até mesmo esquecer tudo isso. Onde eu possa encontrar pessoas que não pensem em mim como a garota que perdeu o pai e o irmão em um acidente de carro, e que tem câncer. Eu quero me divertir, mesmo que seja por um par de meses. Quando Stella decide visitar sua prima estrangeira Lisa em Gênova, ela não tem ideia de que a Itália vai dar-lhe uma nova razão para viver.


Max — Seu olhar estava fixo em uma linda cena, a praia pitoresca empalidecia em comparação. Um salva-vidas saiu da água, calção laranja preso às pernas e água pingando em cima dele. Ele balançou a cabeça para se livrar de uma parte da água em seu cabelo e Stella sentiu como se tudo começasse a acontecer em câmera lenta – pequenas gotas de água deslizaram do pescoço para baixo pelo seu peito largo e braços musculosos, ao longo de uma tatuagem do lado direito do seu ombro, e para baixo, continuando em direção ao peito e o abdômen tanquinho, finalmente se perdendo na cintura de seu tronco. A parte de outra tatuagem espreitava por cima do seu quadril esquerdo, a outra parte escondida debaixo delas. Foi um momento totalmente Baywatch. Seu amor é épico. Mas há muitas coisas que os mantém separados. — Como você pôde esconder isso de mim, Lisa? Se você tivesse me dito isso no primeiro dia que eu o conheci, eu o teria evitado como a peste. Nada teria acontecido entre nós. — Eu mantive os seus segredos também, Stella. Será Max e Stella fortes o suficiente para lutar, não só pelo seu amor, mas por suas vidas?

   2 - Then, Now, Forever

ENQUANTO

"Gia deixou Beppe entrar em sua vida tão facilmente, como se fosse a coisa mais natural do mundo. Ela o segurou quando ele estava tão machucado que pensou que poderia morrer. Ela o acalmou quando ele estava tão irritado que ele pensou que poderia fazer algo do qual se arrependeria pelo resto de sua vida. Gia salvou sua vida. Por pelo menos uma vez ele precisa ser forte por ela. Este agora mesmo, neste momento, era deles. Pertencia a eles, e não aos pais abusivos ou mortos, não a culpa, arrependimento ou tristeza, não ao passado ou ao futuro. "

Mas será que o amor deles sobreviverá quando a tragédia separá-los?

"Eu tenho que ir, Gia. Eu estou cansado e eu me sinto vazio. Eu sei que você precisa de mim, mas eu não tenho nada para lhe dar. Eu preciso melhorar. "

"Eu sinto tanto a sua falta que é difícil respirar."

AGORA

"Beppe ainda era o melhor amiga de Gia. Mas eles nunca seria nada mais do que isso de novo. Lembrar da sensação da pessoa que você mais ama no mundo ser arrancada de você ainda doí. Gia estava determinada a nunca estar nessa situação de novo. "

Há houve falta de amor, mas Beppe pode ganhar a confiança de Gia de novo?

PARA SEMPRE

"Quando eu estava quebrado, você me deu pedaços de si mesma e fez-me inteiro novamente."

Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTEM FRIENDS

Seja Bem Vind@.
{Cena do filme Conquista Sangrenta, com Rutger Hauer e Jennifer J. Leigh}