segunda-feira, 25 de julho de 2016

THE EVER

 1 - Forever & Always

Ever,
Estas cartas são, muitas vezes, tudo o que me fazem seguir semana a semana. Mesmo que sejam apenas coisas aleatórias, nada importante, elas são importantes para mim. O vovô é ótimo, e eu gosto muito de trabalhar na fazenda. Mas... eu me sinto sozinho. Eu me sinto desconectado, como se eu não fosse ninguém, como se eu não pertencesse à lugar nenhum. Como se eu só estivesse aqui até outra coisa acontecer. Eu nem sei o que eu quero do meu futuro. Mas as suas cartas, elas me fazem me sentir ligado à algo, à alguém. Eu tive uma quedinha por você, quando nos encontramos pela primeira vez. Eu te achei linda. Tão linda. Era difícil pensar em qualquer outra coisa. Então o acampamento terminou e nunca mais estivemos juntos, e agora tudo o que tenho de você são essas cartas. M***da. Eu só disse que tive uma queda por você. Tive. Tive uma quedinha. Não sei mais o que é. Uma paixão epistolar? Um amor literário? Isso é estúpido. Desculpe. Eu tenho uma regra comigo mesmo, que eu nunca jogo fora o que eu te escrevo e sempre te envio, por isso espero que isso não te assuste muito. Eu tive um sonho com você também. O mesmo tipo de coisa. Nós, na escuridão, juntos. Apenas nós. E foi como você falou, a memória se transformou em um sonho, uma memória de algo que nunca aconteceu, mas no sonho parecia tão real, e foi mais, sei lá, mais certo do que qualquer outra coisa que eu já havia sentido, na vida ou em sonhos. Eu me pergunto o que significa o fato de nós dois termos tido o mesmo sonho um com o outro. Talvez nada, talvez tudo. Você me diz .
Cade

Cade,
Nós somos amigos por correspondência. Talvez isso é tudo o que sempre seremos. Sei lá. Se nos encontrarmos NVR ( na vida real, no caso de você não estiver familiarizado com o termo ) o que aconteceria? E só para sua informação, o termo que você usou, um amor literário? É lindo. Tão lindo. Esse termo significa algo entre nós agora. Somos amores literários. Amantes? Eu amo você, de uma forma estranha. Te conhecer, através destas cartas, conhecer a sua dor e as suas alegrias, isso significa algo tão importante para mim, que eu não consigo descrever. Eu preciso de sua arte, e de suas cartas, e de seu amor literário. Se nunca houver mais nada entre nós, eu preciso disto. Eu preciso. Talvez esta carta só vai complicar as coisas, mas como você eu tenho a regra de nunca apagar ou jogar fora o que eu escrevi e eu sempre te enviar, não importa o que eu tenha escrito na carta.
Seu amor literário,
Ever.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

COMENTEM FRIENDS



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Seja Bem Vind@.
{Cena do filme Conquista Sangrenta, com Rutger Hauer e Jennifer J. Leigh}